NOTÍCIAS
VÍDEOS
AGENDA
Artigos
Vídeos 

Top 6 mais vistos sobre Radical MX
Os guias federativos do MX - Crónica de Jorge Ró
Publicado em: 2016-09-26  Modalidade: Radical MX
Desde a fundação da nova federação em 1990 que teve inicialmente o nome de Federação Nacional de Motociclismo alguns nomes estiveram na origem de uma evolução no motocross que se entendia como sendo a  vontade de todos e que marcou uma época de ouro no MX nacional. Alfredo Castro é um desses nomes (sendo o único que transitou da antiga FPM para a nova FNM). Este, começou por  desempenhar um importante papel como presidente da Comissão de Motocross, que no “boom” da venda de motos nos anos 90 em Portugal, levou as organizações a realizar provas de qualidade. Alfredo Castro  fazia questão de estar presente nas provas e circulava por todo o Paddock ouvindo e conversando com os pilotos. Nesses anos começaram a aparecer as equipas que se foram consolidando como uma nova realidade do MX português.
 


Seguiu-se-lhe na Comissão de MX (no ano de 1997) um novo responsável chamado Casimiro Gomes que, sendo de Alenquer estaria mais próximo da FNM para assegurar a continuação desse trabalho até aí realizado. Mas, infelizmente foram desenvolvidas politicas desportivas erradas por parte deste, sendo certo que o número de Licenças desportivas foi diminuindo a partir desse ano. Note-se que em  1996 se tinham passado quase 200 Licenças a pilotos e em 1999 apenas 100 (dados registados nos gráfico anuais da FNM). Isto, devido a algumas medidas menos consensuais entre pilotos e federação no decorrer desses poucos anos. Basta referir por exemplo que, na classe das 60 o campeonato nacional terminou com 3 pilotos na Pista da Fonte Grada o que até então nunca tinha acontecido.
 
Uma vez mais, Alfredo Castro teve de voltar a pôr mãos ao trabalho recrutando “sangue novo”. Foram eles, três rapazes a terem o trabalho de dar um novo arranque à modalidade, com as atenções também viradas para o SX com pistas a receberem um novo desenho na sua construção (mais técnicas e mais seguras), a que se procedia a conveniente experimentação por parte dos pilotos médios e do top 5, após a construção destas. Assim, no inicio dos anos 2000 viu-se nova evolução na modalidade (reforçada com o aparecimento do MX Regional Centro) e o progressivo aumento da emissão de Licenças de pilotos, sendo de destacar a então, recém criada classe Minis 50 (hoje, Infantis A) através do Regional MX e transitando esta classe também, para o nacional poucos anos depois.
Mais recentemente, a Comissão de Motocross passou a ter como responsável o piloto Rodrigo Castro, e então sim, temos uma outra visão mais aberta que nestes últimos anos tem contribuído para, de forma mais profissional, se veja o MX desenvolver em Portugal através das classes dos mais novos e claro, necessariamente, dos Regionais da modalidade existentes no nosso País. Assim continue.
 
Jorge Ró
 
 

 
De trás p´rá frente
 
Os artistas e os tolos são interessantes definições que servem para comparar os pilotos de MX nos anos 80 e os do presente. Naquela década os praticantes eram vistos como verdadeiros artistas e por isso eram convidados pelas organizações para participar nas provas das suas terras. Eram então 6, as provas de cada Campeonato Nacional (125 e 250) e além destas existiam cerca de 10 outras provas, denominadas de extra-campeonato onde estávamos cerca de 25 pilotos no total das duas cilindradas nas pistas existentes em vários pontos do País.
O convívio proporcionava-se entre todos e chegávamos a ir almoçar ao mesmo restaurante onde eram ocupadas mesas corridas como se fosse um casamento. As provas começavam às 3 da tarde e os treinos acabavam às 12 horas e daí a haver tempo para este tipo de convívio “ entre artistas”. Estou a lembrar-me dos SX nocturnos de Benavente entre 86 e 89 e do restaurante à beira da estrada mais acima da pista, onde o Neves, o Santos, o Silva, o Licínio, o Kalssas, o Correia, o Ró e muitos outros estávam em pleno convívio. Depois à tarde, vinham as naturais lutas em pista.
Hoje pelo contrário, as organizações entendem tratar-se de simples tolos, os pilotos que se deslocam às provas apenas para exibir o seu equipamento e a sua moto. Mudam-se os tempos…



Segue-nos no Facebook

Agora partilha!



Últimos Artigos sobre Radical MX

Últimos Vídeos sobre Radical MX

 

Segue-nos
PATROCINADORES
PRÓXIMOS EVENTOS
Prova: ASP World Tour 2018
Local: MEO Rip Curl Pro - Portugal
Data: 2018-10-27
Prova: Campeonato Nacional TT 2018
Local: Baja de Portalegre
Data: 2018-10-28
Prova: Campeonato Nacional de Velocidade 2018
Local: Portimão II
Data: 2018-11-18
Prova: ASP World Tour Feminino 2018
Local: Havai - EUA
Data: 2018-11-06
ÚLTIMOS ARTIGOS
MAIS VISTOS DA SEMANA
  • PTRadical ©2011-2012 - Todos os direitos reservados
    Por Tecla Infinita